sábado, 31 de março de 2012

Lista de compras com preços

Assim como prometido segue lista de compras com os preços unitários, no supermercado que costumamos fazer compras em Coimbra:



Bom fim de semana.

Bjinhos

sábado, 24 de março de 2012

Festas Medievais

Aqui tem diversas festas medievais  principalmente no verão, essas festas acontecem geralmente dentro das muralhas dos castelos e tudo é devidamente caracterizado inclusive as musicas, comidas e interpretações, além de ser muito comum a própria população das cidades em que acontecem estas festas se vestirem com roupas de época, desde crianças a idosos.
Já fomos nas festas medievais de Coimbra, Óbidos e Arzila, sendo a de Arzila mais simples, mas muito agradável e simpática, a de Coimbra muito cheia e menos atraente. Já de Óbidos é maior, acontece dentro das muralhas do castelo, com apresentações de música medieval, ferramentas e móveis que simbolizam a época, comidas típicas e até os copos e pratos de de barro (nada de plástico).
Nesses eventos têm animais como cobras, cavalos, burros, cachorros gigantes e gaviões, que são colocados no meio do publico para interação e que envolve os participantes ainda mais no espírito da festa.
As musicas medievais soando, tornam a festa ainda mais característica, com grupos de músicos caracterizados e espalhados nos arredores da festa. Ainda acontecem interpretação de lutas medievais, com entradas dos nobres e lutas com armadores sobre cavalos, muito legal!
Ainda não fomos na que é considerada a maior festa medieval da Europa, que acontece em Santa Maria da Feira (mais ao norte de Portugal), mas se neste ano for possível iremos com certeza!
Depois postamos fotos e vídeos destas festas para terem conhecerem um pouco sobre estas festas!!!
Bjinhos

Cultura

Bom, a cultura dos portugueses é muito diferente da brasileira, costumo ouvir por aqui que os brasileiros estão sempre pensando e esperando o futuro, enquanto os portugueses estão sempre apegados ao passado e recordando ao que já foram algum dia. Esta diferença cultural vão desde as musicas - que no Brasil no geral são mais animadas e aqui são mais melancólicas e tristes (como o famoso FADO) - até ao grande interesse por política pela população em geral e a forma de encarar o trabalho (no Brasil as pessoas topam qualquer coisa pra sobreviver, já aqui o trabalho braçal e operacional é feito em grande parte por imigrantes, inclusive brasileiros, pois eles não estão dispostos a fazê-lo).

Quanto a isso, um exemplo bem claro foi retratado em uma reportagem que vi uma vez na televisão em que relatava a diferença da quantidade de trabalhos oferecidos, quantidade de trabalhadores imigrantes e os trabalhos operacionais em Portugal, mostrava uma plantação em que a maior parte dos trabalhadores eram imigrantes (brasileiros, angolanos e tailandeses) e que os trabalhadores portugueses estavam apenas em cargos administrativos. A responsável pelo RH disse que disponibilizava as vagas nos balcões de emprego e que os portugueses chegavam lá trabalhavam 1 dia e não voltavam mais, outros muitos nem iam quando ficavam sabendo que as vagas eram para trabalho no campo, então tinham que preencher as vagas com imigrantes que topavam fazer o trabalho. (Mais um sinal de que estas "BOLSAS" tudo não valem de nada, se não obrigam a pessoa a correr atrás e se preparar para se desgarrar das ajudas do estado, se tornando eternos sangue-sugas).

Além de tudo penso que aqui em Portugal eles ficam muito restritos à realidade deles apenas, sem grande conhecimento ao que acontece no mundo em geral, as notícias dos telejornais são centradas nas questões do país, abrindo brechas para assuntos relacionados à União Europeia, mas no geral quando se tratam de assuntos relacionados ao impacto na realidade portuguesa. Isso cansa... é chato demais...

Bjinhos



Lista de produtos

Bom, nunca tinha experimentado fazer compras de supermercados pela internet até vir pra Portugal, então não tenho conhecimento para comparar com este tipo de serviço no Brasil, mas o serviço que utilizamos de entregas online funciona super bem, as entregas são pontuais e os produtos vêem devidamente embalados e de acordo com o que solicitamos. Quando algum produto da lista está em falta, os funcionários do supermercado nos ligam e questionam o envio de produtos substitutos ou cancelamento do mesmo.
As taxas de entrega eu acho um pouco "salgadas" variando de 3 a 8 euros dependendo do valor da compra e do horario desejado para entrega, mas como temos aqueles "valiosos" cartões fidelidade que nos garantem todos os meses recebimento de cupons, via correio, com descontos em produtos e taxa zero nas entregas online, aí sempre aproveitamos e as entregas ficam bem mais em conta.
Os cartões fidelidade são amplamente utilizados por aqui, desde supermercados até lojas de móveis e roupas, dão direito a descontos, acumulo de pontos e valores no cartão para compras futuras. São muito práticos e particularmente este  do supermercado (Continente), quando fazemos compras acima de determinado valor recebemos vale de desconto nos combustíveis dos postos Galp e quando utilizamos este vale nos postos recebemos outro vale com mais um pouco de desconto em compras no Continente novamente... acho que vale a pena aderir.
...

segunda-feira, 12 de março de 2012

Preços, qualidade...


Inaugurando meus posts , vou fazer o meu relato mais feminino da vida em Coimbra...
Bom, uma das primeiras coisas que nos admiramos aqui foram as diferenças de preço e qualidade das coisas em relação ao que estávamos acostumados no Brasil.
Quando começamos a pesquisar as creches pra nossa filha aqui, já nos deparamos com muitas diferenças em relação ao que tínhamos visto no Brasil, uma vez que aqui as creches são em tempo integral( 08:00 às 20:00), dá almoço, lanche da tarde e costumam ficar até as 20:00 horas, além das fraldas não era necessário levar mais nada para que a criança ficasse todo o dia na creche e o dia é preenchido com inúmeras atividades programadas de acordo com a idade, além do preço variar na média de 300 euros.
Já no Brasil quando fomos olhar algumas creches, o preço era o mesmo praticado aqui, no entanto era meio expediente (de 13:00 as 17:00), tínhamos que levar pra creche comidas, roupas de cama, lanches, fraldas, lápis, caneta, folhas oficio e até papel higiênico. Além de tudo não tinham atividades programadas para o dia a dia das crianças, ficando apenas uma pessoa responsável por entreter as crianças, ou seja, no final das contas o preço ficava bem mais elevado no Brasil do que aqui.
Uma questão muito interessante que vale ressaltar é a noção de segurança aqui, enquanto sempre vivi rodeada de prédios repletos de apetrechos de segurança, porteiros, vigias, câmeras e alarmes, aqui conheci pela primeira vez o que é ter segurança. A noção de segurança aqui é muito diferente do que estávamos acostumados, o que inicialmente causa alguma estranheza, mas com o tempo é fácil perceber que a realidade deles é bem diferente da nossa.
Como exemplo a creche da minha filha aqui, fica afastada da cidade em uma região com mais natureza e rodeada de muitas árvores, no entanto, a creche não tem cercas elétricas, grades, arames farpados e seguranças na porta, o prédio é todo de vidro e com varandas nos dois andares. Se fosse no Brasil, eu não sei se ficaria a vontade de deixar minha filha em uma creche com essas mesmas condições!!!
Quanto às compras de supermercado, essas realmente me deixaram surpresa, principalmente pela qualidade dos produtos e depois pelos preços, é difícil voltar pra casa insatisfeita com algum produto devido a qualidade. Os detergentes são concentrados, o arroz é bem branquinho e não tem pontinhos pretos, o feijão é só jogar na panela e lavar, o papel higiênico mais simples é compatível com um dos melhores comercializados no Brasil, a qualidade das fraldas então não dá nem pra comparar e os iogurtes então são de fazer muita inveja nas gôndolas brasileiras. Aqui, nossas compras de supermercado rendem muito mais do que rendiam no Brasil, pois como os produtos são de melhor qualidade, acabam por render muito mais, desde detergentes até o sabão em pó. (Em breve postarei uma lista de produtos e preços pra efeito de comparação !!!)
Que a qualidade dos produtos vendidos no Brasil têm qualidade inferior e os preços cobrados por eles são maiores que em outros países todos nós já sabemos, mas só sentindo na pele pra saber o quanto essa diferença é gritante. Fui comprar frutas em uma quitandinha de bairro perto da minha casa e o senhor português todo simpático veio me oferecer uma maçã maravilhosa, dizendo que era uma delícia e que era brasileira, na verdade comecei a rir, pois eu sou brasileira e nunca tinha visto uma maçã brasileira tão bonita e apetitosa, pra piorar a situação, o preço da linda maçã era o mesmo praticado no Brasil por uma maçã manchada, pequena e com aspecto horrível. J
Até a próxima....  Docinho

quinta-feira, 1 de março de 2012

ciclista e fotógrafo por Coimbra

Além de bater perna de bicicleta, também andei levando a câmera. Então, aí vão mais fotos!

Espero que gostem.

Abs

Coração.

PS: para ver a foto maiorzinha, clique sobre ela.

vista geral da cidade


Mosteiro de Santa Clara-a-velha


vista da cidade da ponte de Santa Clara

rio Mondego e margem esquerda do Parque Verde

rio Mondego


ponte de Santa Clara e o mosteiro de Santa Clara-a-nova (aquele edifício enorme lá acima)

restaurante sobre o rio Mondego
rio Mondego

Parque Verde
vista linda de Coimbra


Santa Clara



como não me canso, aí vai mais!

parte baixa do Santa Clara (as casas escuras abaixo são locais para armazenagem do equipamento náutico)

Ponte nova (Rainha Santa Isabel)




escavações do Mosteiro de Santa Clara-a-velha

idem

visão dos fundos do mosteiro com visão da cidade

uma típica rua portuguesa

um ciclista por Coimbra

Olá.

Coimbra não é uma cidade muito amiga dos ciclistas. Mas como gosto de pedalar e preciso MUITO perder peso, além de sair um pouco da frente do computador, resolvi que a melhor forma de fazer ambas as coisas ao mesmo tempo seria comprar uma bicicleta. Pois bem, comprei e tenho feito alguns passeios de bicicleta pela cidade. Ainda curtos, pois a forma física (ou melhor, a falta de forma física!) não ajuda a grandes passeios. 

De todas as formas tem sido bem gostoso. A cidade, como já disse, é linda. Limpa. O ar é puro e os dias com sol são magníficos. 
Aproveitei para tirar algumas fotos para os amigos aqui do blog poderem ver um pouco mais da cidade.

Aliás, interessante, têm havido acessos da Rússia e dos EUA, além da Alemanha, Brasil e Portugal. 
Obrigado aí, galera, pela "audiência"!!!

Enfim, tenho saído aqui do Santa Clara, ido pela rua Antônio Gonçalves até a esquina do Portugal dos Pequenitos, circulado pela Santa Clara-a-velha, entrado no Parque Verde, rodopiado um pouco pela margem direita, depois passado pela ponte "pedonal" para a margem esquerda, rodopiado mais um tanto por lá, ido até a ponte de Santa Clara ("ponte velha"), voltado pela rua que lhe dá sequência (que não sei o nome) e de volta pela Antônio Gonçalves... isso dá uns 7km. Não é muito, mas para mim tá quebrando o galho e me deixando já bem cansado. 

Tirei um bocado de fotos. Vou colocar aí abaixo. Espero que os amigos, de qualquer país, apreciem.

Abs ciclistas (cansados!)

Coração.

um solitário observando o rio Mondego

não canso de ver isso! A cidade alta.

quem dera que fosse meu! :)

vista do outro lado, isto é, do Santa Clara

antiga porta da cidade de Coimbra (acesso à pé para cidade alta)

ruas da cidade baixa

Baixa conimbrense

idem

a região é cheia de pequenos becos como esse... negócios pequenos, antigos, vale a pena ver as vitrines (montras)

Igreja do ano 1131 e onde está enterrado o primeiro rei de Portugal

um ciclista pela Baixa de Coimbra!

sede do Governo Civil de Coimbra

mais da Baixa (observe os cabos do bondinho)

Baixa

ciclista observando o show das águas (há um restaurante ao fundo deste monumento)

essa fonte é MUITO antiga

show das águas

há incontáveis laranjeiras como esta por todo lado aqui e em Portugal

outra igreja do século XI

Baixa (neste largo os estudantes costumam fazer grandes reuniões)

praça logo ao pé da ponte de Santa Clara

ali ao lado está a rua que margeia a antiga muralha da cidade

avenida que margeia o rio Mondego