quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Perguntas da Carla


"Olá Docinho, Coração e Salgadinho

Primeiramente, gostaria de parabenizá-los pelo blog, as informações que vocês publicam ajudam muita gente a conquistar seus sonhos! Compartilhar informação por puro altruísmo é uma virtude e tanto!

Me chamo Carla e pretendo me candidatar ao curso de mestrado em direito na UC em 2013/2014, mas estou super insegura em relação ao processo seletivo. Desde a minha formatura, há exatos dez anos, trabalhei em escritório ou na área pública e há apenas alguns meses mudei minha vida. Saí do meu emprego e comecei minha jornada em busca de meu sonho, a área acadêmica. Resumindo, só agora estou começando a estudar para poder participar de um processo seletivo para o mestrado em direito e quando surgiu para oportunidade (financeira) de estudar em Coimbra ainda esse ano, fiquei super nervosa em relação ao processo seletivo.  Já ouvi várias pessoas dizendo que as aulas são ministradas em inglês, o que para mim não tem sentido nenhum, mas ouvi isso! Confesso que meu inglês é bem capenga, até leio alguma coisa, mas aí participar de uma aula toda sendo ministrada em inglês já não dá. Algumas pessoas que disseram que o currículo tem que ser turbinado, com experiência na área acadêmica ou vários artigos publicados. E em relação a entrevista já me colocaram o maior terror!
Confesso que estou muito tensa e se vocês puderem me esclarecer como realmente aconteceu com vocês, ficarei muito, mas muito grata!!
Agradeço imensamente a tenção.
Abraços. Carla. "


Oi Carla,

Agradeço os elogios e a apreciação, mas quem disse que é de graça, rapá???!! Depois te passo nossa conta para o ajuste, viu??? kkkkkkkkkkkk

Sou e sempre fui defensor de que ajudar não dói e facilita a que outras pessoas não passem o perrengue que nós passamos. Quando viemos, sofremos um bocado por falta de informações, daí que achamos que outros poderiam vir (já que vão vir de qualquer jeito), mas com menos sofrimento e complicações. Aquele negócio do "com jeitinho". kkkkkkk E acho que temos atingido, ao menos para alguns, nossos objetivos.

A faculdade de Direito, por ser a mais tradicional da Universidade, tem umas besteiras mesmo. São extremamente formais (se acha o Judiciário formal no Brasil, vai ver que o daqui está ainda no nosso século XIX) e cheios de coisas. MAS, não estão com essa bola toda! Outras várias faculdades já tomaram a primazia de Coimbra em Direito dentro de Portugal, então a procura pelos mestrados aqui caiu um bocado, embora ainda seja grande. Acho que com isso eles baixaram um pouco a bola. Ao menos um pouco! :)

As aulas em inglês vão depender do ramo que escolher. Se for Direito da Concorrência ou Direito Internacional, lamento, mas vai mesmo ter um bocado de aulas em inglês. Muita gente com inglês capenga consegue acompanhar, portanto, não será a única na sala com dificuldades. Mas como tem algum tempo aínda para vir, se seu plano é mesmo uma destas áreas, talvez valha a pena fazer uma assinatura de TV a cabo da BBC e ir treinando o ouvido. Simples assim. Acredite, funciona melhor do que imagina. Mas, por que a BBC? Porque a referência na Europa é o inglês britânico, logo o que vai ouvir aqui é isso, não o padrão americano. Daí ser bem mais fácil acostumar com a BBC ao invés dos canais americanos (embora estejamos acostumados com o inglês americano, eles usam mais two or three-word verbs, enquanto os britânicos usam muito mais verbos específicos, mais oriundos do latim. O sotaque se estranha um pouco no início, mas depois entra no sangue e sai na urina, portanto, moleza! kkkkk). Não acho que deveria sequer cogitar pensar em DEIXAR de vir por causa disso. Acredite, MUITA gente aqui não entende tanto o inglês assim e vai se virando, incluindo os portugueses.

Se fosse para o doutorado, diria que seu curriculum realmente teria que estar mais recheado, pois sem trabalhos acadêmicos ou uma indicação de um professor, seria difícil entrar. Mas não no mestrado. Quem te informou isso errou feio. Claro que ajuda se tiver aquele lindo curriculum, mas não é sine qua non. MAS, veja bem, publique ainda alguma coisa. Tens tempo. Comece a escrever para o JUSNAVIGANDI ou para o revista Prática Jurídica ou outras do grupo Consulex. Não é tão difícil ser publicado quanto alguns podem imaginar. E douraria seu curriculum, claro. Além de ser bom pro ego!! :)

A entrevista é um terror mesmo. Mas fiz de bermudas na sala de casa!!! kkkkkkk Eles só viam minha imagem de terno e gravata e da cintura para cima no Skype. Portanto, para aguentar o calor, usei do expediente do Cid Moreira (que apresentava várias vezes o JN de bermudas e terno!). Quando acabei a entrevista tive a certeza de que não tinha sido selecionado. Pegaram meu histórico da faculdade (que enviamos com antecedência) e foram destrinchando e perguntando porque eu tinha ido mal nesta ou naquela matéria... foi  um horror. Caras sérias, parecia o MEU funeral do outro lado da câmera. Acabou sem uma palavra de simpatia, mas depois fui aprovado e muito bem. A Docinho teve uma entrevista melhor, o cara foi todo simpático e já ao final da entrevista disse que ela muito provavelmente seria selecionada. Então, depende um pouco de sorte. Eu dei azar, ela, não. Ou seja, vai numa reza brava, faça umas novenas, faça um despacho ou sei lá qual a sua religião, mas vá fundo e peça, criatura, porque ajuda!! rsrsrsrsrs Agora, a sério, não se impressione com a entrevista. E nem perca o sono com ela. Não minta no curriculum (eles LÊEM mesmo o negócio), seja bem clara na sua exposição do motivo que te leva ao mestrado, e pronto. 

Ah, importante, o MESTRADO aqui na Europa NÃO tem conotação acadêmica como no Brasil! Isso é importante, o mestrado aqui é condição essencial para a PRÁTICA de muitas profissões, incluindo o Direito (só pode fazer a prova da Ordem aqui quem tiver mestrado). Então, essa coisa do academicismo que cerca o mestrado no Brasil NÃO existe aqui. Daí ser mais tranquilo para quem tinha vida exclusivamente profissional e não acadêmica (como eu, por exemplo) conseguir entrar, o que seria quase impossível no Brasil.

Relaxou?
:)

Abraços e anime-se, mulher! Vá atrás do seu sonho. Não é sempre que a conjunção de condições vai se apresentar. Se está com tudo pronto, não deixe de tentar. Vai se surpreender de como será MIL VEZES mais FÁCIL do que imagina.

PS: acho que muita gente volta ao Brasil falando maravilhas sobre os estudos aqui em Coimbra ou mesmo dos terrores e dificuldade para entrar para valorizar seu próprio feito. Só pode. Os estudos são fracos, já disse antes, são muito melhores boas universidades particulares no Brasil do que aqui. E para entrar não é nada complicado, embora burocrático (como tudo neste país). Falar outra coisa é querer puxar a brasa para a própria sardinha. Nós, por outro lado, não temos nada que esconder ou a ganhar (mas se quiserem o número da conta, eu dou, viu???!!!kkkkk Aceito subornos!! kkkkkk) falando mentiras para vocês. O que escrevemos aqui é exatamente o que se passou - e se passa - conosco todos os dias. 

Abs

Coração




Perguntas do Anderson


"Bom dia,

Agradeço as respostas, e se possivel responder algumas outras questões seria de enorne utilidade.

- Nas aulas tem muito conteudo em lingua não potuguesa?
- O processo de candidatura tem provas?
- Parece que alguns cursos só tem a dissertação no 2ano, então não tem aula nenhuma?
- Como funciona para comprar um carro(docs, impostos, txas).
- Ai tambem tem imposto anual veicular?
Agradeço desde já e prometo não te incomodar mais."

Oi Anderson (e resto do povo),

A maior parte das aulas é em português, ao menos na maior parte dos cursos. Na faculdade de economia - e consequentemente nos mestrados e doutorados - há um intercâmbio enorme com faculdades do Reino Unido, então, MUITAS aulas - e até algumas matérias - são dadas em inglês. Ninguém fala isso hora nenhuma, apenas recomendam domínio da língua, mas na hora do vamos ver dizem para você se virar. Portanto, cuidado com este curso em particular. Dá para o povo se virar? Sim, mas complica bastante a vida. Eu tive aulas em com professores espanhóis, mas acho que a maior parte da turma não teve problemas (eu falo espanhol, então não sou parâmetro).

Que eu saiba as candidaturas são todas baseadas em análise curricular e entrevistas, além de ver se o cidadão tem condições de se manter no curso ou se vai largar por não ter como se manter em Portugal. Daí que sugiro ao povo nunca marcar a opção do formulário que indica "bolsa". Esqueça, porque não vai ganhar bolsa daqui mesmo, então não marque e suas chances aumentam!

Os cursos só tem a dissertação no segundo ano, igualzinho aos mestrados no mundo todo, Anderson. Mas isso não indica que não haja aulas. Há e são obrigatórias. Tem presença assinada e é um pé-no-saco em alguns cursos, com professores conferindo a listinha para ver se alguém está assinando pelos demais. Coisa de primário, só falta a chamada da "tia". Aliás, já mencionei esse "espírito" pré-primário de alguns cursos em outros posts. Além de aulas, há provas de todas as matérias (algumas duram apenas 2 ou 3 semanas), portanto, frequentemente há trabalhos a apresentar ou provas a fazer, dependendo, claro, do curso. A Docinho já teve até uma prova TODA em inglês. Uma grande babaquice, mas aconteceu e não adianta reclamar nem com o Papa... Foi um caso isolado, mas esteja preparado para essas eventualidades.

Comprar um carro aqui é bastante simples. Acho que já postei sobre isso, mas falo novamente. DEPOIS de ter o número de inscrição na Fazenda, isto é, número de contribuinte (esse número funciona aqui como o CPF no Brasil. Vão te pedir isso o tempo todo), é mole. Entrar numa loja, escolher o carro e pagar! :) O registo (sem o r) é feito na conservatório de registros de automóveis (como o registro do DETRAN no Brasil), bastando levar um formulário que o vendedor te entrega, assinar e pagar 60 euros da transferência. Fácil. 

Quanto ao IPVA portuga, há sim. E varia MUITO em função do carro, em especial se o carro polui muito ou não. Aqui eles levam isso realmente a sério. Carros mais antigos, portanto, mais poluentes, têm impostos mais altos, mas não se aproximam do Brasil. Nosso modesto carrinho, um Citroen C3 2010, diesel, paga 120 euros por ano. 

Não vale a pena ter veículos muito mais antigos do que isso, porque há inspeção (pra valer!) obrigatória e se houver algo errado nos zilhões de itens que eles avaliam, terá que consertar e voltar para fazer. Daí que veículos com mais de 4 anos de uso, embora MUITO baratos, podem trazer esta dor de cabeça. 

Compra-se carros aqui por preços bem módicos, em especial se não se importar com a vistoria. Uma amiga da Docinho pagou 1.000 euros num Corsa com 10 anos de uso, mas inteiraço. Uma ex-babá da Salgadinho comprou um Citroen - não lembro o modelo - também usado, mas em bom estado, por 250 euros! E roda nele direto - ela mora fora de Coimbra.

E, Anderson, não é incômodo algum, rapaz. Pergunte o que quiser, responderemos sempre que der, ok?

Abs

Coração.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Carne, emprego, crise...

Falando com uma pessoa outro dia surgiram dúvidas sobre Portugal e a crise. Bem, reproduzo abaixo o que respondi para ela:


"Seus amigos em Portugal que falaram que a crise atual é a pior desde a 2ª Guerra ou são muito jovens ou então não conhecem direito a história do país. Portugal já enfrentou ainda durante Salazar períodos tão ruins como agora no pós-guerra. Além disso, em 1974 foi uma mer*¨*¨¨&*¨*da aqui. E esteve sob a intervenção do FMI em duas outras ocasiões na década de 70 e 80, tendo, numa delas, tido uma desvalorização cambial em um dia de 20%, ou seja, inflação solta, perda geral de poder aquisitivo e etc. Pelas reportagens que vejo, foram bem piores do que agora, embora, claro, chorões como são, estejam fazendo um alarde danado sobre esta crise.

Tá ruim? Claro que está. Estão em crise, perderam poder de compra, estão com impostos até o pescoço. Mas não é o fim do mundo. Pizza Hut tá cheio TODOS OS DIAS, McDonald’s anteontem não tinha onde sentar, praças de alimentação dos shoppings lotadas de segunda a segunda e etc. 

Diminuíram? Claro. Mas a coisa devia ser doentia, porque tendo diminuído o tanto que eles choram, eu ainda acho que o consumo aqui é desbragado! Agora perto do Natal eu não conseguia lugar para estacionar nos shoppings de tão cheios que estavam! E as entregas da Amazon demoraram uma vida, porque, segundo o entregador, eram tantas que nem contratando mão de obra temporária a empresa estava dando conta. Black Friday não sobrou NADA nas lojas, detonaram tudo! Isso é a crise que eles pintam? Fala séério!

Sobre os brasileiros voltando, muitos brasileiros voltaram mesmo e vão ainda voltar para o Brasil sim, mas não porque não estejam conseguindo se manter. Isso é lenda. Voltam porque aqui são rapa da mandioca e trabalham com empregos esc*&¨&*¨*&¨*rotos, mesmo tendo formação razoável. Enquanto o Brasil vai bombando, ficar aqui nesta situação é mesmo bobagem. E temos que levar em conta que muitíssimos trabalhavam na construção civil e este setor praticamente parou aqui. Daí muitos terem ido direto para o desemprego. Eu no caso deles até consideraria voltar também... mas quem tá bem empregado não pensa nem por um segundo em voltar!

Quanto aos empregos, como mencionei, trabalho tem. Emprego tá complicado. O que tem é em coisa escr*&*¨*&*¨¨&&&&&ota, geralmente em empregos operacionais, mão suja mesmo. Mas tem. Tem que correr atrás, tem que batalhar, mas acha-se. Não acho, entretanto, que alguém com o seu padrão de vida vá se adaptar a estes empregos, ao menos em princípio. Até porque pagam mal – o salário mínimo é 480 euros.

O envio de dinheiro para cá é burocrático. Tem que ser feito através de bancos ou empresas próprias (Western Union, Correios, etc). Mas tudo passa pela Receita Federal e pelo Banco Central do Brasil, portanto, o dinheiro vai ter que ser todo declarado. Nós usamos o Banco Rendimento e nunca tivemos problemas. Tenho também desses cartões VISA TRAVELMONEY que são uma boa mão na roda. Tenho do próprio banco Rendimento e do BB. Atenção, apenas, que eles limitam o tanto que podem trazer ao longo do ano. Nunca conseguiram me explicar isso direitinho, mas como exigem a apresentação da declaração do IR na abertura da conta, deve ser alguma proporção do patrimônio que deixam sair por vez. A maior parte do pessoal vai jogando entre os vários bancos para não chegar nestes limites POR BANCO, então traz cada mês em um, por exemplo, e evita problemas.

Claro que sempre podem trazer algum consigo ao virem (comprado numa casa de câmbio), mas não é algo prático ficar indo ao Brasil a cada pouco tempo para importar dinheiro! kkkkkkk Além disso o limite, se não me engano, de dinheiro que pode trazer consigo, por leis européias, é de 5.000 euros. Cuidado com isso. Se pegarem com mais, apreendem o dinheiro e cobram os impostos, além de responderem processo.

O problema da carne vermelha é mais complicado... A carne vai ser mesmo um problema para vocês. Nem pense em importá-la, porque a UE tem zilhões de restrições. Mas eles têm carne importada aqui, seja do Uruguai, da Argentina e outros países. Picanha e etc. Só é caro. Uma picanha custa uns 24 euros a peça (em geral entre 1,5 e 2,5kg). Não é algo que vamos comer toda hora, né? A carne deles, como mencionei, é uma bo*&&**¨*(sta. Sempre fibrosa. Ah, antes que esqueça, faça estoque de amaciante de carnes. NÃO EXISTE ISSO AQUI, então não tem jeito de arrumar a porcaria da carne... Nós vivemos de frango e peru. Tem porco, mas a Docinho não gosta muito, então ficamos nas aves mesmo.

Resumindo, vir pensando em ganhar a vida trabalhando, neste momento, não é o mais aconselhável. Exceto se for pessoa bem disposta para pegar QUALQUER tipo de emprego e ganhar pouco, mas o suficiente para se manter. E acostumar a comer frango! kkkkk"

A conversa foi mais ou menos assim. Desculpem os palavrões, mas sou boca-suja mesmo. Evito aqui no blog, mas numa conversa privada a coisa sempre fica no nível boteco às 4h da manhã! :)

Abs

Coração

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Sobre Coimbra

Nesta página de facebook há um bom material sobre Coimbra.

https://www.facebook.com/pages/Coimbra-Portugal/226434957418373?fref=ts

Abs

Coração

Frrrrrrrio!

Tá fazendo um frio danado!!

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/multimedia/fotogaleria/portugal/manto-branco-cobre-portugal-no-regresso-do-mau-tempo

Abs

Coração


Mais perguntas!

"Boa noite Docinho/Coração,

me chamo Mia.Eu e meu marido vamos lançar nossa candidatura para um mestrado na UC 2013/2014.
Adoro o blog de vocês, ele é bastante completo e tem me ajudado muito, em diversos aspectos, mas nada como falar diretamente com vocês para esclarecer todas as minhas dúvidas. Vamos lá:

* Nós temos uma cadelinha, como é a aceitação por aí? Será que é difícil encontrar aptos que aceitem animais de estimação?
* Em relação a moradia, achei um pouco confusa a divisão dos bairros de Coimbra. Será que eu consigo alugar um T1 num bairro tranquilo por menos de 200 euros?
* Em relação a mudança, o que vocês recomendam que a gente leve? Algum eletrodoméstico, roupa de cama, utensílios, roupas, calçados...
* Em relação a comida, eu tenho visto muito que por aí a carne de boi é pela hora da morte né? o que é que vocês comem? Os temperos que tem aí são os mesmos daqui?
* E a universidade? É tudo o que dizem mesmo?

Desculpas pela exploração com tantas perguntas. Se vocês me permitirem ainda terei várias!!! rsrsrs

Ah, outra coisa... Eu trabalho aqui no Brasil com Comércio Exterior, e eu te mandei aquele link porque o acordo do qual ele trata é BILATERAL, isso significa que daqui para Portugal a regra é a mesma. Além disso existem outras formas de vocês fazerem essa mudança e sair bem mais barato. Seus pertences podem ir via marítima num navio cargueiro em um container fracionado, e o frete vai ser bem inferior aos 1800 euros cobrados no cruzeiro.
Se vocês precisarem de ajuda nesse processo eu posso fazer isso sem problema nenhum e a custo zero.


Desculpas de novo por tantas perguntas..."


Oi Mia,

Pô, mulher, que pena que só resolveu nos escrever agora, porque já entulhei a casa de uma amiga com meus bagulhos! Mas gostaria muito de saber mais sobre esta forma alternativa de mudança - isto é, sem empresa propriamente dita - porque poderá ser útil em alguns meses quando o nosso saco para lidar com isso melhorar e também para outras pessoas que venham a passar pelos perrengues que estamos passando! Portanto, mande aêêêê estas informações, ok??! E desde já obrigado!


Quanto às suas dúvidas, aqui todo mundo tem cachorro. Aqui no prédio, por alto, há uns 10 apartamentos com cães, e no nosso contrato não há qualquer observação sobre animais. MAS nos anúncios que eu vi quando estava procurando quase todos diziam que não aceitavam animais de estimação. Nós não temos - só o Monstrinho kkkkkkkkkk - e ninguém que eu conheça tem, portanto, não sei te dizer com certeza sobre o assunto. Mas que todo mundo aqui tem cachorro, isso é verdade!  :)


Acho MUITO difícil alugar um apartamento decente num bairro decente por esse valor, Mia. Há aquela residência universitária no Santa Clara e que gira nestes valores, poderia ser uma opção. Mas não sei se aceitam cães, viu? Em geral APs de 1 quarto (T1 na nomenclatura deles) em bons bairros custam em torno de 300 a 400 euros. Fora da cidade em Condeixa ou outras cidadezinhas dormitório aqui perto pode ser que ache. Dê uma olhada na imobiliária ERA, porque é a maior daqui e certamente poderá ter uma boa idéia dos preços. 

Sou sincero, sou fresco, não gosto de muvuca, detesto barulho e confusão. Então, bairros bons para mim são o Santa Clara, Solum, Vale das Flores, Celas (alguns lugares), Quinta da Portela e por aí. Mas também são mais caros... A cidade é bem pequenina, ao contrário do que o mapa sugere, então os bairros são beeeeeeem pequenos também, exceto, talvez o Santa Clara que é o maiorzinho. O resto são 4 ou 5 quarteirões só! É pequeno mesmo... :)

Em relação ao que trazer, Mia, depende MUITO dos objetivos que têm. Se vão vir, fazer a parte teórica do mestrado, catar as tralhas e voltar para o Brasil e concluir a parte prática (monografia) no Brasil, não vale a pena trazer nada, exceto os objetos mais pessoais. No geral, digo que não vale a pena trazer qualquer eletrodoméstico (há o problema da tensão - aqui é 220v e 50Hz) ou roupa de cama (exceto uma muda para chegar e ter onde deitar), mas somente roupas pessoais - menos as de inverno, porque não servirão para nada e as daqui são em geral muito melhores e baratas de comprar. 

Montar uma casa COMPLETA aqui é barato, ainda mais se não for muito exigente e aceitar "móveis" de estudante. No nosso caso, não fizemos assim, mas conseguimos montar a casa TODA com uns 1500 euros ou pouco mais. Nada chique. Se comprar no OLX (um mercado livre daqui), deve conseguir pela metade desse preço. 

Comida... esse é um perrengue. NUNCA NA VIDA COMI TANTO FRANGO!! kkkkkkk A carne de boi é cara mesmo. Mas pior do que cara, é ruim! O corte deles é totalmente diferente do nosso e a carne tende a ser fibrosa, gordurosa... Se tiver com grana no bolso, vazia (seria algo parecido com o nosso filé mignon) é muito boa, mas cara - uns 15 euros o quilo. Porco é muito barato aqui, até mais do que o frango. Mas tem cabrito, coelho, milhões de peixes e mariscos diferentes e são baratas. Nós vamos muito de frango e peru mesmo. 

Os temperos existem aqui todos os daí, ao menos os que usamos no Sudeste (coentro, manjericão, orégano, páprica...). Tem caldo Knorr igual aí. O ruim é o shoyo... não achamos nada que substituisse o daí, pois os daqui são fraquinhos. 
As comidas prontas são incontáveis, há de todo tipo  e quem não quiser cozinhar pode viver a vida sem fazer propriamente nada, pois há de tudo semi-pronto ou pronto no mercado. Tudo mesmo. Mas em geral o tempero é fraquinho em relação ao nosso no Brasil. Eu sempre que como uma refeição já pronta dou uma garibada no tempero. 

Quanto à Universidade, veja a resposta que dei para o Anderson ainda a pouco. Mas vou repetir: NÃO É ESSAS COISAS, tá? Ao menos nas áreas que tenho conhecimento são piores do que em boa parte das particulares do Brasil. MAS tem prestígio. Se vem, por outro lado, em busca de grandes conhecimentos e aprender é tudo que te importa, faça no Brasil mesmo. Será muito melhor servida do que aqui. Chato falar isso do título que temos, mas é a verdade... 


Fico esperando suas informações sobre a mudança, ok? E não se furte de fazer mais as perguntas que quiser, ok?


Abs


Coração

Perguntas:

Estas são perguntas feitas via email. Como acho que a dúvida de um é a dúvida de todos, passo para cá.

"Boa tarde,

Meu nome é Anderson e Acabei "tropeçando" no seu blog enquanto procurava informações sobre coimbra.
Vou fazer um mestrado ai em 2015 e junto vai minha namorada e um amigo, todos para fazer mestrado.
Descobri seu blog hoje pela manhã e "devorei" ele, mas algumas duvidas ainda existem, se possível gostaria de contar com sua ajuda.

- Vi e não é novidade que emprego é difícil e nem conto com isso, mas estou indo com dinheiro para o tempo que eu vou ficar por ai. Mas penso que um ganho extra seria bem vindo, E vocês como conseguem se manter ai?

- Qual o curso que vcs foram fazer? Pergunto pq é falado bem pouco da universidade.

- Alguma recomendação especial referente a Universidade?

- Você sabe informar algo sobre validade dos diplomas? tanto o daqui ai, quanto vice versa.

Agradeço e espero não estar sendo inconveniente.

Aproveito para parabeniza-los pelo blog e pela iniciativa.

--
Anderson Lima"

Oi Anderson,

A gente tem fontes de rendimento no Brasil, mas "o bicho tá pegando" desde que o euro resolveu disparar de uns 6 meses para cá. A Docinho está tentando uma bolsa de doutorado, mas por enquanto nada. Vamos levando como dá mesmo... 

Nós não damos informações pessoais, Anderson, por questões de privacidade mesmo, portanto não tenho como entrar em detalhes da Universidade no meu aspecto pessoal. Mas como disse em outros posts, tenho informações sobre Direito, Economia, Marketing, Medicina, Letras, Informática e Educação Física de gente conhecida que fez mestrado nestas áreas. No geral, os cursos são chaaaatos toda vida. A didática deles é muito antiquada, do tipo cuspe-e-giz, com poucos trabalhos efetivamente de pesquisa durante o mestrado. Não há grupos de discussão, não há análises de trabalhos científicos e etc. Há até trabalhos em grupo, mas nitidamente são para encher linguiça e sem grandes discussões.  O grande "lance" de fazer mestrado aqui é mesmo pelo prestígio que a Universidade goza no Brasil e, residualmente, em Portugal também. Mas em termos absolutos, há várias outras Universidades MUITO melhores do que a de Coimbra, em especial a do Porto e a Nova de Lisboa, mas em algumas áreas específicas Aveiro, Beira Interior e outras também se destacam.

O que a maior parte de nós, brasileiros não entende, é que o mestrado para eles aqui não tem praticamente valor algum. Foi completamente desvalorizado depois do tal Tratado de Bolonha. É no padrão pós-graduação no Brasil. Então, aquilo que nós temos como Mestrado no Brasil para eles é mais próximo do Doutorado. Talvez isso ajude a entender o porquê de ser como é.

Recomendação em relação à Universidade é vir munido de grande dose de paciência e boa vontade e baixas expectativas. Em geral nós chegamos achando que vamos encontrar uma universidade de primeiro mundo, Harvard ou algo semelhante. Não se engane. Minha experiência no Brasil é muito melhor do que a daqui. Mas, como disse, vale pelo prestígio. 

Apesar de todos os blá-blá-blás de tratados disso e daquilo, diplomas brasileiros não são automaticamente revalidados em Portugal e vice-versa. Tem que passar por um procedimento - semelhante ao daí - em universidades para validar o diploma SE QUISER TRABALHAR NA SUA ÁREA e a área for regulamentada (Administração de Empresas, por exemplo, não é. Daí que seu diploma valha aqui). Medicina e Direito, por exemplo, é um parto dos difíceis para conseguir legalizar as coisas. Lentas e caras também.

Trabalho é complicado. Tem. Mas em geral a rapa da mandioca. Trabalhos mais sofisticados, bem pagos ou de chefia, estes, sumiram. Agora, de fome só morre aqui quem quiser! kkkkk

Abs

Coração

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Email

Gente,

várias pessoas perguntaram nos últimos tempos sobre email para contato. Aí vai:

aventurasdeumdocinhopelomundo@gmail.com

Abs

Coração

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Janela

Fui beber uma água na cozinha hoje de tarde e quando olhei pela janela vi esta cena. Resolvi compartilhar com vocês.

Abs

Coração




quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Mudança internacional 2, a missão!

A Marta, da agência de viagens, me retornou hoje as informações que pedi ontem. Aqui vai o email:


"Boa tarde Exmo. Sr. Coração,

Em resposta ao seu pedido, que desde já agradecemos, vimos por este meio informar os valores do Cruzeiro Transatlântico com partida a 3 de Março de Santos:

Cabine interior: 882,00€
Cabine exterior: 1 032,00€

Este valor inclui:

Cruzeiro em cabine individual, na categoria escolhida; taxas de embarque; bebidas incluídas: vinho, água, sumo e cerveja ao almoço e jantar.

Exclui:

Taxa de serviço (120,00€) a pagar a bordo; despesas de reserva 29€; todos os serviços não mencionados.

Os preços mencionados são a titulo informativo, uma vez que não foi efectuado qualquer bloqueio ou reserva, estando por esse motivo sujeitos à disponibilidade de lugares, bem como a eventuais correcções tarifárias resultantes de alterações cambiais, suplementos de combustível, práticas de tarifas dinâmicas na hotelaria e na aviação até ao momento da sua adjudicação.

Relativamente à bagagem, pode transportar até 4 malas de dimensões razoáveis.
Estamos ao inteiro dispor para prestar quaisquer esclarecimentos que considere necessários.
Os nossos cumprimentos,


Marta Mano
Viagens Abreu S.A. (Alvará nº 35/58) – Fórum Coimbra
Avenida José Bonifácio de Andrade e Silva – Fórum Coimbra nº 1 Piso 0 Loja 0.42
Telf. + 351 239 801 460 | Fax: + 351 239 801 469
Geo referências | Latitude: 40º 12' 38'' N | Longitude: 8º 26' 39'' W |"


Bem, ou seja, não é tudo à terra e nem tudo ao mar. Mandei um email perguntando o que seria "razoável" e aguardo resposta. Mas se um baú, por exemplo, de 1,20 x 0,60 x 0,60 m for razoável, 4 destes seria suficiente para trazer muita coisa. E por pessoa. Talvez possa solucionar muitos problemas para muita gente, não acham?

Fica a informação e os contatos da Marta. Ela foi super-atenciosa comigo e poderá ser útil para outras pessoas.

Abraços

Coração

Conhecer Portugal

Oi Pessoal,

Não sei se gostam de fotografias ou não. Mas para quem gosta de fotos das paisagens portuguesas tiradas por gente comum, não por fotógrafos profissionais, há uma página no Facebook chamada DESCOBRIR PORTUGAL que é muito legal.

Recomendo uma visitinha.

Abs

Coração

http://www.facebook.com/absolutportugal


terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Burocracia

Como já mencionei algumas vezes, quem reclama da burocracia no Brasil não conhece o que seja burocracia... isto é, até vir morar em Portugal!

Aqui tudo tem um impresso, um formulariozinho, um papel que tem que ser carimbado, assinado e re-carimbado por algum mané em algum lugar.

Vejam o exemplo.

Tenho que fazer um processo administrativo na Univ. do Porto. Tenho que levar infinitos documentos, claro, todos com reconhecimento de firma no Brasil e mais o selo, a assinatura e o bla-bla-blá de sempre do consulado no Brasil. Até aí morreu Neves. Mas tenho também que preencher um formulário. Não é qualquer um, é o modelo de número 526 da Casa da Moeda (de Portugal, claro!). Fácil, né? Não. Não há na universidade, no balcão onde tem que ir. Você tem que ir na Casa da Moeda, em Lisboa, para comprar ou fazê-lo via internet. Custo: 0,49 centavos de euro (cêntimos, para irem se familiarizando). Só pode ser pago via cartão de crédito ou de débito. Aí, preenche-se o papel online, faz o débito do cartão e eles te enviam o formulário (que é um papel qualquer, sem timbre, sem nada) via email para você imprimir em casa e levar na universidade.

Brincadeira.

E TUDO é assim. Acho que depois do Euro eles não tinham o que fazer com a Casa da Moeda e botaram os caras para ficar inventado formulários para os otários preencherem.. Só pode ser!

Enfim, o que não falta em Portugal é vinho, bacalhau e formulários da Casa da Moeda para preencher!

Abs

Coração

Mudança internacional

Oi pessoal,

Como vocês sabem, viemos para cá para estudar. Íamos ficar um tempinho. E o tempinho foi se prolongando, se prolongando, se prolongaaaando e... virou um tempão! E estamos cá. Bem, a parte MUITO triste de se mudar para outro país é: o que diabos fazer com tudo que você acumulou durante toda a sua vida???!!

Em geral, quando vamos ficar pouco tempo, alugamos um box em alguma empresa e deixamos isso lá. A Granero tem este serviço e até não é tão caro. Outros alugam um AP ou deixam na casa de parentes. Foi o que fizemos. Mas e se o tempo inicialmente previsto se prolongar, talvez ao infinito? Bem, neste caso, muito provavelmente faremos uma mudança internacional, não é? Simples?

NÃÃÃÃÃÃOOOOOOOO!!! Nada é simples nesta vida!!! Principalmente quando você acha que vai ser!

Veja bem, no Brasil temos hoje poucas coisas, pois nossos móveis e utensílios eletro-eletrônicos foram todos vendidos quando viemos. Afinal, ficar com isso desmontado seria o mesmo que jogá-los fora, pois móveis empenam e etc e tal, e eletrônicos parados tendem a estragar ou mesmo a deixar de ter valor, veja o caso das TVs (quando saímos do Brasil eu tinha uma TV de 46 polegadas de LCD e era tudo de bom, último modelo. Hoje vale sh%*&*¨&%¨&it, porque saíram as de LED e 3D). O que sobrou eram as coisas de valor sentimental, além de livros... MUITOS livros - o que tem ENORME valor sentimental para mim, um aficcionado por livros desde a infância.

Naturalmente, agora seria hora de trazer isso. Contactei algumas empresas e formos fazer orçamentos. Chora!!! Arranca os cabelos da cabeça (e onde mais encontrá-los!!)!!! Caramba, por cerca de 5 m³ - para quem não sabe, as mudanças internacionais são embaladas e despachadas de navio ou avião e medidas por peso e volume, daí os metros cúbicos - o que não é muito levando em conta que basicamente são apenas livros, louças (cristais...), CDs, teclado, violão e fotografias. Enfim, 5 m³. Sabe quanto ficaria essa bobagem?

Chute!
Errou!!!
Tente de novo!
ERROU!
Mais uma chance...

Bem, em princípio os orçamentos apresntados ficaram entre 7.000 e 9.000 DÓLARES, tirando os valores possivelmente cobrados aqui em Lisboa para o desembaraço. Fico pensando em quem vier com mala e cuia!

Detalhe: sabe aquele quadro, poster mesmo, que ganhou na adolescência e emoldurou, que tem valor sentimental, mas não é nenhuma obra de arte? Ou uma esculturazinha pequena que comprou na feira hippie? Precisam de autorização do IPHAM para deixar o país!!! Sério! Mas é um poster??? Não interessa, meu amigo, é "obra de arte". E isso leva tempo, custa dinheiro e etc.

A burocracia também não é pequena. Tudo bem que as empresas tomam conta de uma parte do processo, mas nem de todo ele.

E aí, como ficamos?
Não ficamos!

Empacotamos tudo de novo e pedimos pelo amor de Deus a ajuda dos amigos para deixar as coisas por mais um tempo na casa deles enquanto decidimos o que fazer da vida...

Há opções?

Bem, minha amiga Flávia uma vez tinha falado de um tal navio que faz cruzeiro interatlântico entre o Brasil e Portugal e que algumas pessoas tinham falado com ela que compravam um camarote e enchiam o mesmo com suas tralhas e levavam para o Brasil. Com isso evitavam os custos das mudanças internacionais. Achei isso estranho, mas como aprendi a não duvidar de nada nesta vida, fui atrás das dicas dela e hoje fui ter (acostume-se, em Portugal vocês não se encontram, vocês "têm" com alguém) com a Marta, funcionária de uma agência de viagens aqui em Coimbra. E ela confirmou a história!

Devagar com o andor...

Ela confirmou que isso EXISTE, mas não sabe detalhes. Ficou de ver para mim e me enviar um email com mais informações. SE isso se confirmar, talvez seja a solução para nós e também para outros que queiram vir. O navio - de cruzeiro, não de carga, com piscina e etc - leva uns 20 dias cruzando o Atlântico - pois vem parando em vários portos fazendo turismo - e custa na cabine dupla em torno de 1800 euros. Bebidas incluídas. Comida ainda não sei. Perto do preço da mudança está bem barato. Mas não sei os detalhes...

Agora, sei que ele sairá do Brasil em 3 de março de 2013, fará o seu tradicional passeio até a Argentina e Uruguai - com você e sua mudança junto! - e depois vem até Lisboa. Como desembaraçar isso tudo, papelada, etc, não sei de nada. Tudo terá que ser pesquisado. MAS já é uma luz no fim do túnel. Portanto, vai mudar para Portugal? Pense nisso, talvez seja uma opção ao invés de ter que doar um rim para pagar a mudança!

Quando tiver mais informações, posto aqui.

Abs

Coração

sábado, 5 de janeiro de 2013

A crise, de novo!

Hoje uma boa amiga do Brasil me escreveu um email falando da prima dela que vive em Paris e que também não consegue ver lá a tal crise que os europeus choram constantemente nos meios de comunicação.

Aí escrevi o texto abaixo para ela. Achei interessante e resolvi colocar aqui.
Desculpem algum erro, mas foi tudo feito de uma assentada...

"Fala Coração
Tenho uma linda priminha que está morando em Paris. Ela escreveu em seu blog sobre a crise por lá. Ela, assim como vc aí em Portugal, tb não consegue vê-la na prática.

Veja o último texto que ela escreveu nessa página do seu blog:


Mas será que tudo que a gente houve por aqui é mesmo exagero???!!!!!

Bjo,




Oi

Depois vou ler o blog dela sim, amiga, obrigado pela informação.

Quanto ao que vcs vêem aí estar tudo exagerado, não, não está. Está exagerado na mídia em TODO lugar. Já te falei sobre os mercados e lojas lotados de gente comprando, certo? Pois hoje saiu no jornal que houve uma brutal queda nos gastos em dezembro, obviamente sinal da crise. Sabe de quanto foi a brutal queda??! Cinco porcento. Cinco!! Num país que faliu!! Onde cortaram os salários dos funcionários públicos, cortaram o 13º da galera toda e aumentaram violentamente os impostos. Caiu APENAS 5%. E eles choram isso com uma pressão danada! Esta é a crise deles. Ocupação dos hotéis numa região turística famosa daqui (ilha da Madeira) durante o ano novo? Mais de 80%. Foi uma enorme queda, porque era costume ter 100% de ocupação. Mas pense bem, tem que pegar avião (fica nas costas da África), alugar carro ou andar de táxi, pagar hotel e tudo o mais. E caiu só 20% a ocupação de ano novo!

Eles mantiveram um padrão de vida exageradamente elevado por décadas. Aqui e em vários países da Europa. Agora, ao não poderem trocar de carro (os dois ou três que todas as famílias têm - Portugal tem 10 milhões de habitantes e 7 milhões de automóveis! E não produz uma única gota de petróleo e 90% dos carros aqui são importados) todos os anos estão fazendo beicinho e chorando a grave queda do nível de vida. Tem crise? Claro, havia centenas de empresas sem a menor possibilidade de concorrer no mercado, com salários inflados, custos trabalhistas elevadíssimos, horas de trabalho mínimas, produtividade mínima, que sonegavam violentamente os impostos. Agora estão fechando o cerco à sonegação, aumentaram os impostos e com isso as empresas perderam a pequena margem de manobra que tinham. Muitas estão fechando. Para as pessoas que realmente estão no desemprego será um processo penoso, isso após os 18 MESES de salário desemprego. Há muitos casais que perderam os empregos. E estes estão sofrendo bastante. Mas é de longe uma minoria no país. O padrão de vida de Portugal ainda está MUITÍSSIMO acima das capacidades deles e também muitíssimo acima da produtividade deles em termos de tudo.

Minha opinião é de que eles vão ter que ter uma recessão com queda do PIB de uns 20% antes da realidade efetiva ser alcançada. A Grécia está atingindo estes patamares agora, mas lá o buraco era muito mais embaixo do que aqui, portanto, talvez tenham que perder uns 30 ou 40% do PIB antes de chegarem à verdade dos fatos.

Agora, a crise deles é MUITO diferente daquilo que os brasileiros entendem por crise. Com tudo isso, por tudo isso, não vejo gente preenchendo os lugares de sub-emprego que há aqui aos montes. Estes seguem sendo executados por brasileiros, africanos e pessoas do leste europeu. E sobram empregos de meio período, pois vejo as plaquinhas nas lojas a pedir empregados. Ninguém quer. Querem empregos, sim, mas de chefe, com bons salários. 

Esta é a crise européia. E só vai realmente acabar quando houver uma drástica mudança na forma de pensar, deixando o socialismo de lado e adotando um capitalismo que eles aqui simplesmente desconhecem. Ou eles adotam o capitalismo real – com seus custos sociais, infelizmente – ou vão quebrar de vez. Países como França, Holanda, Alemanha, Suíça e etc vão conseguir se manter por muito mais tempo em alto padrão devido ao capital acumulado ao longo de séculos, além de terem grande capital intelectual (grandes empresas detentoras de patentes e multinacionais). Outros como Itália, Espanha, Portugal, Grécia e etc vão quebrar rapidinho. Viveram um boom de décadas baseado num consumo explosivo muito além de suas capacidades, à base de crédito. Só que uma hora alguém se pergunta: afinal, como estes caras vão pagar esta conta que nunca pára de aumentar? E nesta hora, bum!, fecham a torneira e as pessoas e as empresas, e o Estado, vão à falência.

Diga-se de passagem, o caminho que descrevi no último parágrafo é idêntico ao que o Brasil está seguindo agora. Quem conhece a história recente dos países mencionados poderá ver um paralelo impressionante entre as políticas financeiras e monetárias deles nos últimos 10 a 15 anos e o que o Brasil vem adotando desde 2008. O resultado também será idêntico, mitigado no nosso caso em parte pela possibilidade de desvalorização cambial, mas sem termos, por outro lado, o colchão enorme que é a união dos demais países para ajudar.

Beijinhos.

Coração"

PS: ainda não tive tempo de ler o tal blog, portanto, desculpem se lá não for tão bom quanto aqui!! kkkk 


quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Preconceito contra brasileiros em Portugal

Oi

Primeiro temos que falar a verdade: HÁ PRECONCEITO CONTRA BRASILEIROS EM PORTUGAL SIM. 

É enorme? Não. É grande? Em geral, não. É perceptível? Sim, é. Interfere com a minha vida? Não. Mas pode interferir com a vida de pessoas que necessitem de emprego. Já conversei com portugueses que foram explícitos em dizer que não contratam brasileiros nem com as melhores referências do mundo.

Há preconceito APENAS contra brasileiros? Nem de longe! Na verdade, por ser um povo muito antigo e bastante homogêneo até recentemente, os portugueses são relativamente xenófobos. E como levam o patriotismo aos píncaros, sempre se têm na mais alta conta, obviamente relegando o que é estrangeiro para um nivel bem inferior. Como diz o Docinho sempre: eles se acham a "última batatinha da pacote"! E é verdade.

Os meios de comunicação só fazem reforçar este problema. Se um português soltar um pum em Nova York será notícia na TV. De resto, mal se ouve falar dos outros países do mundo. As notícias deles são sobre eles, o tempo inteiro, todos os dias, em qualquer canal, em qualquer jornal. Notícias internacionais são poucas e no geral voltadas para as tragédias. Atualmente, com o problema da intervenção do FMI e da União Européia, as notícias internacionais são exclusivamente para meter o pau nos estrangeiros que querem sacanear Portugal, roubar o país e levá-los à falência, porque, claro, eles não têm culpa da situação econômica péssima em que o país se encontra! Isso é tudo culpa dos banqueiros internacionais!! É um discurso meio PCB dos anos 80 no Brasil... mas mesmo os partidos de esquerda brasileiros evoluíram imensamente nos últimos anos e já acabaram com este blá-blá-blá... aqui, não. 

Sendo esta a percepção deles dos estrangeiros, há um outro aspecto: Portugal não fez nada de importante no mundo nos últimos 400 anos. Desde os Descobrimentos e do Império Colonial Português que eles não tiveram mais sucessos em nada. E se apegam imensamente a este passado de grandeza. E olham pouco para o presente ou mesmo para o futuro, sempre se auto-vangloriando a respeito da grandeza portuguesa, do tanto que o país fez pelo mundo e etc, etc, etc. Enfim, é um país pequeno, periférico na Europa, sem expressão cultural, sem expressão econômica, sem poder efetivo na Europa, mas com um passado (distante) grandioso. E isso pesa MUITO para eles. Daí, ao meu ver, a grandiloquência do discurso diário no país... o melhor jogador do mundo é, claro, português, assim como o melhor técnico, o melhor vinho, o melhor... escolha. Sempre se tratam assim. Obviamente que isso leva a distorções graves na auto-imagem.

E voltando à vaca fria, isto é, ao preconceito. O que tudo acima tem que ver com isso?

TUDO!
Quando você é o melhor e todos os demais são piores do que você, é fácil ser preconceituoso. 

Contribui para o preconceito também o fato de que quem emigra, em geral e com as devidas boas exceções, pertencer a três possíveis classificações:

1) a rapa da mandioca, o pior da sociedade, aquele que não consegue nada na sua terra, ou precisa fugir dela. São frequentes as prisões de assaltantes ou prostitutas de origem brasileira em Lisboa;

2) a elite, aquele que procura opções que seu país não propicia e pode se dar ao luxo de sair do país para buscar seus objetivos;

3) há um grupo grande de pessoas que vem para trabalhar como loucos, juntar dinheiro, sustentar parentes no Brasil, enfim, batalhar. Mas estes em geral são pessoas simples, com baixa instrução e costumes que, para eles, os tornam mais próximos do grupo (1) do que do (2). 

E o (1) é MUITO superior em números ao (2). A exposição deles aos brasileiros nas últimas décadas, com as devidas exceções, volto a repetir, foi majoritariamente ao (1) e (3) do que ao (2). Então a impressão geral do país sobre os brasileiros é que gente malandra, barulhenta, que só quer ganhar e não quer pegar no pesado, de mulheres fáceis ou mesmo prostitutas.

Mais ou menos como os brasileiros têm a idéia geral do português como um cara bronco e burro, dono de boteco ou padaria, sovina. E esta noção veio da leva de portugueses que ia para o Brasil ainda no Império (a rapa da sociedade deles!) e também do que foi para o Brasil no pós-guerra. 

Em suma, acho que as contingências históricas portuguesas e a exposição que as sociedades tiveram ao perfil viciado de seus cidadãos levou a um preconceito mútuo. MAS o futuro é melhor do que o passado, porque com o novo intercâmbio que está havendo entre Brasil e Portugal, em especial com esse furor que eles têm sobre o nosso país recentemente, faz com que as pessoas se exponham não ao pior das sociedades, mas sim ao melhor. Mais estudantes universitários e de mestrado/doutorado estão vindo para Portugal (devido à melhora econômica no Brasil), mais portugueses com boas qualificações estão indo para o Brasil e este intercâmbio, ao meu ver, diminuirá MUITÍSSIMO o preconceito mútuo que há entre os dois povos.

IMHO.

(bicho, que post chaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaato!!) kkkkkkkkkk

Abs

Coração
PS: estou super-aberto a discussões sobre o assunto. 

Acabando o Segundo Grau/Ensino Médio

Oi Galera,

Recebi hoje esta mensagem de um simpático e jovem seguidor do nosso blog (eu sempre retiro o nome das pessoas, pois não sei o grau de privacidade que desejam, ok?):

"Prazer, sou G., tenho 16 anos e estou desde já me preparando para o meu futuro. Primeiramente, peço desculpas por mandar um ''comentário'' assim, só me inscrevi no blog para manter contato com vocês e não sei muito bem como funciona. Eu tenho algumas perguntas a fazer e gostaria muito de um retorno, pois são duvidas cruéis. Obrigado desde já;

- É adequado acabar o Segundo Grau ( Ensino Médio) e já se mudar para Coimbra ? (Fazer Faculdade);

- Há muito preconceito com brasileiros ?

- Em suposição, eu indo assim que terminar o Terceiro Ano do Ensino Médio, o que, de documentos, preciso levar para apresentar e quais documentos preciso para ter um visto de residencia ai ?

Me encantei com a cidade, com a cultura e tudo mais, como eu digo: Quem tem um sonho, vai atrás. Desde já, obrigado por fornecer tantas informações detalhadas, ajuda muito e a... Parabéns pelo trabalho, muitos jovens como eu devem estar acompanhando esse blog também. Atenciosamente."

Eu, em geral, prefiro responder estas perguntas diretamente no blog, porque sempre acho que pode interessar a um bando de pessoas ao mesmo tempo. E assim disponibilizo para muita gente ao mesmo tempo.

Vamos aos fatos:

1) Sim, caro G, é adequado acabar o ensino médio no Brasil e vir fazer faculdade em Coimbra (ou no Porto, Lisboa, Aveiro...). Tem um bocado de brasileiros que fazem isso, seja a faculdade inteira, seja apenas uma parte (na Europa há um programa chamado Erasmus, que consiste numa espécie de intercâmbio de alunos entre faculdades. Não sei se os brasileiros entram exatamente neste programa, mas que tem um bocado de gente aqui fazendo o terceiro grau, isso lá tem). Embora Coimbra seja uma faculdade com grande prestígio no Brasil, em Portugal já não é assim tão reconhecida em várias áreas. Em Aveiro há uma ótima faculdade, assim como a Universidade Nova de Lisboa e a Universidade do Porto, estas são ótimas opções também;

2) Preconceito, há. Muito? Acho que não. Diminuiu bastante nos últimos tempos devido ao fato de que o Brasil está "bombando" e Portugal, não. Então o fluxo de imigração se inverteu e dezenas de milhares de portugueses estão querendo ir viver e trabalhar no Brasil hoje em dia, ao contrário de uns 3 anos atrás quando havia milhares de brasileiros aqui. Isso certamente ajudou. Mas ainda há um certo preconceito, sim. Plenamente superável. Mas vou fazer uma entrada no blog especificamente sobre o preconceito e sobre minhas idéias a respeito que poderão ser mais abrangentes;

3) eu não estou familiarizado, G., com os procedimentos de regularização do ensino médio aqui em Portugal. Quem poderá te informar com precisão sobre isso será o consulado português mais próximo da sua casa. Já te digo, entretanto, que a burocracia é grande. Por isso, não deixe para quando concluir o terceiro ano, já comece a providenciar a regularização dos OUTROS anos todos bem antes, deixando apenas a conclusão do curso do ensino médio para regularizar na última hora. Se deixar para fazer tudo no final, vai enrolar (e ficar caro, porque os custos não são baixos de legalizar toda a papelada);

4) quanto à SUA legalização aqui, isso não é tão complexo quanto as pessoas costumam pensar. Se tiver nacionalidade européia (o que não é complicado se tiver algum avô ou avó que tenha nascido em qualquer país europeu), o procedimento é zero. Basta vir e se apresentar na junta de freguesia (uma espécie de sub-prefeitura) mais próxima de casa e pedir o seu registro lá. Se não tiver dupla nacionalidade, apenas a brasileira, também não é difícil. Mas terá que comprovar que tem onde morar (algum parente dando uma carta de confirmação, ou contrato de aluguel...) e que tem renda para se manter (declaração de IR do seu pai/mãe dizendo que você é dependente dele...). Aí, de posse destes documentos, basta procurar o SEF (serviço de estrangeiros e fronteiras) em qualquer loja do Cidadão, que há em qualquer canto, e fazer o registro.

Se o seu sonho é viver na Europa, G., seja em Portugal ou em outro país qualquer, acho realmente uma excelente idéia vir estudar aqui, na universidade que escolher (e conseguir passar!). Com o diploma português você poderá trabalhar em qualquer país da UE (até porque com 5 anos de residência aqui já pode pleitear a nacionalidade portuguesa) ou mesmo em várias outras partes do mundo. É muito frequente feiras de empregos aqui em que empresas do norte da Europa (onde há grande carência de mão de obra especializada), de países árabes e da África (pagando "pouco"... coisa de uns 10.000 dólares por mês mais despesas, dependendo da área de atuação!) vêm literalmente caçar pessoas para seus países. Ou seja, com um diploma português de uma boa universidade, um bom conhecimento de línguas (sugiro de antemão ter um inglês EXCELENTE => não se deixe enganar por cursinhos de fundo de quintal => minha sugestão pessoal, procure o BRASAS mais perto da sua casa e faça um curso intensivo... funcionou muitíssimo bem para mim e vários amigos meus//// além do inglês, se souber alemão, espanhol e/ou francês, o mundo estará aberto para você!).

Quem sonha e batalha por seus sonhos vai longe. Seja um deles.
Mas vai ter que suar a camisa, amigo, porque o caminho é cheio de espinhos...

Boa sorte

Coração

PS: G., você não perguntou sobre custos, então presumo que disponha de recursos. Mas como nem todo mundo tá forrado nos euros, vamos a uma análise superficial da matéria:

1) moradia (e luz, gás, internet): se morar numa república dá uns 300 euros por mês. Se for morar sozinho num AP pequeno, com todos os encargos, aumente para uns 450. Há, ainda, os alojamentos da Universidade. São bons e MUITO baratos, mas difíceis de conseguir. Mas a economia seria sensacional, porque junto com o alojamento eles fornecem cartão de transporte público grátis, cartão de celular grátis, passe para as cantinas da faculdade e etc.

2) faculdade: pelo que vejo na TV as mensalidades das universidades públicas (aqui a pública é paga! Mais barata do que as privadas, mas é paga) gira em torno de 400 a 500 euros por mês. Não tenho idéia das privadas, mas sei que os custos para Medicina, por exemplo, são os mais elevados de todos.

3) comida: se não for um Monstro da Tasmânia, imagino que uns 100 a 150 euros por mês sejam mais do que suficientes.

4) transporte, livros e etc: vai depender muito de onde morar. Os estudantes em geral anda MUITO a pé e vivem perto de suas faculdades, portanto, varia demais. Livros... aqui o povo estuda por apostilas, acredite se quiser, e isso custa no máximo a impressão ou xerox. Livros mesmo há nas bibliotecas - que são muito boas - e portanto raramente é necessário comprar algum. Se precisar, também há inúmeras lojas de livros usados e em ótimo estado, inclusive na própria faculdade os alunos se organizam para vender seus livros usados para outros alunos que vêem a seguir, portanto, não é uma preocupação importante.

5) diversão: depende do seu "padrão".

No geral, aqui em Coimbra, posso dizer que com uns 750 euros um estudante estará MUITO bem (mensalidade da faculdade excluída, veja bem). Com 1.000 viverá bem, mesmo pagando deste dinheiro a mensalidade da faculdade.



terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Feliz Ano Novo, Docinho

Bem, meio estranho mandar felicidades via blog, mas sempre é bom deixar registrado para a posteridade que você é o meu verdadeiro amor - a Joaquina é apenas passageira, tá?

Um feliz ano novo para você, Doce, e para o Monstrinho também. Que todos os seus sonhos se realizem e que o próximo ano seja ainda melhor do que o que acaba em alguns minutos aí onde estão. E que vocês VOLTEM LOGO porque já estou de saco cheio de ficar sozinho e morrendo de saudades das minhas meninas!

Beijinhos com amor.
Saudades.

Coração

PS: a Joaquina manda lembranças, mas como é tímida, ficou lá no forno e não quis dar as caras.

Ano Novo, blog velho

Bem, feliz Ano Novo para todos.

A pergunta: o que leva um mané a escrever em um blog em plena noite de ano novo? Simples: a família toda viajou e sobramos eu e a pizza aqui para a "festa". E o blog! Então, vamos lá...

Coimbra tem muitas coisas legais e, como devem perceber, gosto muito de morar aqui. Mas uma das tais coisas legais NÃO é o reveillon. Caramba, como é fraco!!! Já é a minha terceira passagem de ano aqui e não me acostumo como é fraquinho...

Há fogos, mas acho que qualquer condomínio que se preza no Rio tem um show de fogos igual ou até melhor do que o da cidade de Coimbra. Dura uns 10 minutos, mas são d-e-z-m-i-n-u-t-o-s de fogos, se é que me entendem. Marasmático. E, passado o momento mágico, o silêncio.

Aqui em casa, como já disse, pertinho do Parque Verde, parece neste momento que tem uns 4 velórios ocorrendo. E sem os choros!! Se deixar cair um alfinete deve dar para ouvir lá no térreo! Não passa um carro na rua, não se ouve uma música, não há qualquer algazarra típica da época... neca de catibiriba!

Ou seja, meio chato.

O povo no Porto e em Lisboa costuma ir para a beira dos seus respectivos rios e, no frio de rachar desta época, ficar lá vendo os fogos, tomando vinho e celebrando. Nada comparável ao que temos usualmente no Brasil, mas certamente melhor do que aqui.

O detalhe importante: ninguém usa branco! Aliás, nem há para vender nas lojas. Em geral passam de preto, azul escuro ou outras cores típicas de inverno. Iemanjá reina só do outro lado do Atlântico. Aqui acho que nem ouviram falar nela. Portanto, se vier passar o ano novo por estas partes do mundo e tiver a superstição de querer passar de branco, melhor trazer de casa a sua roupinha. E pense no frio, portanto, meninas, nada dos vestidinhos "light" do reveillon brasileiro.

De todas as formas, eu e a Joaquina (é o nome da minha pizza, feita por mim mesmo, massa e tudo!) passamos uma boa virada de ano. Meio chata, mas razoável. Ia contratar umas prostitutas e fazer uma farra no apartamento, mas achei que a Docinho ia me castrar depois, além de correr o risco dos vizinhos me expulsarem do prédio, então achei melhor moderar e comer apenas a Joaquina mesmo. Quem sabe o que mais a noite me reserva??! kkkkkkkkkkk

Enfim, bom reveillon para vocês (aqui já é 2013!!! Somos MUITO mais adiantados do que vocês!) e que os vossos (viu como aprendemos a falar o português e abandonamos o brasileiro!?) sonhos se realizem, com paz, saúde e prosperidade.

Abs

Coração e Joaquina (ou melhor, apenas Joa, porque a Quina já comi tem tempos!)

PS: segue uma foto da Joaquina quando ainda era virgem.... :)